19 de novembro de 2018

   
 O Jornal   |   Contato
 
Colunas

Colunista:

Fabiana Medeiros

Educação e Família.

02/02/2018
Filhos

 

 

 

Quem são eles?

Dizem que Deus nos empresta para que possamos molda-los ,como uma obra prima para serem do mundo .

Dizem que filhos tem asas ,e precisamos deixa-los  voar .

Dizem também que filho nos escolhe antes mesmo de estarem no ventre da mãe ,porque temos algo a ensinar a eles,e que no meio de tantos outros pais e família ,cada um escolhe essa ou aquela, porque é a mais especial .

Conceito de filhos são tantos!

Só quem os tem ,sabe definir bem ,quando deixa o coração falar.

Não importa se são filhos de sangue ,emprestados ,afilhados ou adotados ,definir filho é algo que não existe em alguma letra ,nem em algum som .Só o coração pode dizer ,e ele o faz através dos sentimentos que se sente em relação a eles .

Filhos são eternos bebês . Filhos não se explica ,só se sente,  e  enche de carinho ,atenção e amor.

Quando ainda são pequenos ,podemos abraçar ,e beijar com mais frequência ,olhar nos olhos, aconselhar  ,acarinhar porque eles vão nos ouvir .

O tempo vai passando ,e o abraço vai ficando mais rápido ,como as horas de sair com os amigos.

A fase ,não deixa revivermos aquele abraço pausado e intenso ,porque isso alguns dizem estar fora  de moda.Quando o mundo os adota,  Ficamos perdidos nos ponteiros do relógio ,até a porta se abrir ,ouvir a voz ,ouvir dizer ..

Estou aqui ,sou eu ,cheguei.

O que de mais valor temos no mundo ?

Quem importa mais?

Nada importa mais ,não existe tesouro mais precioso ,do que as pessoas que amamos.

Filhos meus, seus, e de Deus.

Quem somos nós ?O que fizemos do que sobra de nós ,quando um filho se vai ?

Quando um filho se vai , e não podemos traze-los de volta ,nos tornamos tão pequenos ,tão vazios .

É dor que invade, rasga, dilacera ,pela falta que faz , pela dor da saudade, da realidade sem poder tocar, abraçar ,olhar ,amar ,chamar "Meu filho! "

É dor que não se descreve, vai cortando em pedaços a alma .

É inevitável senti-la ,ela se faz infinita .

Tudo perde o sentido ,porque filhos são o sentido da vida ,da nossa existência como  pais .

Com eles aprendemos o que significa o amor .

Aquele amor que tudo transborda ,revela,aflora afaga, sorri, chora, ora agradece  é feliz.

Lágrimas nunca  cessam quando um filho se faz distante .

Não a distância que podemos alcançar ,mas aquela que divide duas dimensões .

É infinito de dor.

Qual o sentido de uma vida cheia do tudo ,se o tudo sem as pessoas que amamos é o tudo sem nada?

Vida cheia de vazio!

Perder um filho é punhal carregado de dor eterna.

Não se explica ,só se sente .

Filhos se quer para sempre .

Filhos são a imagem que  refletimos como pais  no espelho do existir ,eternizados no amor  que eles vão  sentir e retribuir nos espelhos da vida.

Filhos são filhos !

São o inteiro, o todo o maior tesouro dos pais!




comentrios

Sem comentrios, adicione o seu!

Deixe seu comentrio sobre esta coluna:
De:
Comentrio:
   
 
colunas relacionadas

Publicidade


© 2011 JORNAL O MUNICIPIO - Todos os direitos reservados - Produzido por