21 de julho de 2018

   
 O Jornal   |   Contato
 
Colunas

Colunista:

Vilson Schambeck

Doutor Vilson Shambeck, é Cirurgião Dentista com especialidade em Saúde Pública. Com uma forte atuação junto às comunidades de base, discorre sobre diversos assuntos.&l

13/04/2018
Coluna do Vilson

O PULSO AINDA PULSA!

Ouvi certa feita “chegará o dia em que o honesto terá vergonha de ser honesto”. Olhe ao seu redor e perceba que este dia já chegou. O erro, hoje, é algo comum. Algo normal, amplamente aceito por nossa sociedade. Denegrir, falsear a verdade, fugir para com suas responsabilidades... Enfim o mundo parece um engodo.

Fingimos que não vemos isto ou aquilo. Somos covardes. Testemunhamos fatos, mas fugimos quando intimados. Não queremos nos incomodar, não foi comigo... O outro que se dane. Não pensamos coletivamente. Esquecemo-nos que ao lutar pelo todo, lutamos por nós próprios também. A luta coletiva tem mais força. Uma luta por saúde, educação, dignidade. Pleiteamos mudanças, mas não somos capazes de mudar a nós próprios.

Somos de fato cada vez mais hipócritas, covardes, imaturos, inconseqüentes. Miséria, baixos salários, falta de educação, comportamento desumano... Nada mais nos afeta. Estamos cauterizados, encarcerados num filme em terceira dimensão. É cada um por si neste vale tudo. Seja sincero com você mesmo, não envergonhe a Deus. Esqueça o Natal, Páscoa... Não vá a missa, ao culto ou a qualquer outra celebração religiosa. Dê o seu acento para outro. Pare de ocupar espaço. Se as pregações não encontram guarida em nossos corações, para que então dizer-se religioso.

O fato é que transformamos nossas igrejas num clube social. Nada além disto. Um encontro para desfilar um belo traje de fim de semana. Onde está o “bom dia”, o “com licença”, o “me desculpe”. Onde já se viu trabalhar uma vida inteira para depois passar os últimos dias de sua vida mendigando o pão, pois é isto que a grande massa de aposentados faz. O que eles ganham mal dá para pagar a conta da farmácia. Onde já se viu um jovem de 17 anos não ceder lugar no transporte coletivo para uma pessoa idosa, como já vi acontecer.

Que país é esse que um político se aposenta com salário integral após quatro anos de mandato. Vergonha!!! Esse é o nosso país. Um país que literalmente pára diante da copa do mundo, mas que não se une ante as mazelas sociais. Engodo, depois virá a “propaganda eleitoral gratuita”. Falácia. Prometem sempre as mesmas coisas: saúde, educação e segurança. Mas eles possuem planos de saúde, põem seus filhos na rede particular de ensino e suas casas vivem cercadas dia e noite por empresas de vigilância. Mentira!

Não acredite nessas promessas. Nada vai mudar. Nada, absolutamente nada. Temos que mudar a nós próprios primeiro. Seja exemplo para seu filho. Ore, busque, engaje-se, faça acontecer, testemunhe, faça você a diferença. Precisamos de líderes. Mas o líder não é forjado no banco de um MBA qualquer. A liderança nasce no fogo. O deserto de ontem será a tua lavoura amanhã. Precisamos de pessoas que tenham conhecido o sofrimento de perto, pois só estes são capazes de saber o que de fato o povo precisa.

Há muitos que ao pegarem um jornal só lêem três coisas: horóscopo, resumo das novelas e colunas sociais. Onde está o pensamento crítico? Onde está o cidadão? Sinceramente, para muitos a vida é uma balada de um tom só: EU, EU, EU. Me desculpem mais este desabafo, mas o pulso ainda pulsa.

 

O PULSO AINDA PULSA!

Ouvi certa feita “chegará o dia em que o honesto terá vergonha de ser honesto”. Olhe ao seu redor e perceba que este dia já chegou. O erro, hoje, é algo comum. Algo normal, amplamente aceito por nossa sociedade. Denegrir, falsear a verdade, fugir para com suas responsabilidades... Enfim o mundo parece um engodo.

Fingimos que não vemos isto ou aquilo. Somos covardes. Testemunhamos fatos, mas fugimos quando intimados. Não queremos nos incomodar, não foi comigo... O outro que se dane. Não pensamos coletivamente. Esquecemo-nos que ao lutar pelo todo, lutamos por nós próprios também. A luta coletiva tem mais força. Uma luta por saúde, educação, dignidade. Pleiteamos mudanças, mas não somos capazes de mudar a nós próprios.

Somos de fato cada vez mais hipócritas, covardes, imaturos, inconseqüentes. Miséria, baixos salários, falta de educação, comportamento desumano... Nada mais nos afeta. Estamos cauterizados, encarcerados num filme em terceira dimensão. É cada um por si neste vale tudo. Seja sincero com você mesmo, não envergonhe a Deus. Esqueça o Natal, Páscoa... Não vá a missa, ao culto ou a qualquer outra celebração religiosa. Dê o seu acento para outro. Pare de ocupar espaço. Se as pregações não encontram guarida em nossos corações, para que então dizer-se religioso.

O fato é que transformamos nossas igrejas num clube social. Nada além disto. Um encontro para desfilar um belo traje de fim de semana. Onde está o “bom dia”, o “com licença”, o “me desculpe”. Onde já se viu trabalhar uma vida inteira para depois passar os últimos dias de sua vida mendigando o pão, pois é isto que a grande massa de aposentados faz. O que eles ganham mal dá para pagar a conta da farmácia. Onde já se viu um jovem de 17 anos não ceder lugar no transporte coletivo para uma pessoa idosa, como já vi acontecer.

Que país é esse que um político se aposenta com salário integral após quatro anos de mandato. Vergonha!!! Esse é o nosso país. Um país que literalmente pára diante da copa do mundo, mas que não se une ante as mazelas sociais. Engodo, depois virá a “propaganda eleitoral gratuita”. Falácia. Prometem sempre as mesmas coisas: saúde, educação e segurança. Mas eles possuem planos de saúde, põem seus filhos na rede particular de ensino e suas casas vivem cercadas dia e noite por empresas de vigilância. Mentira!

Não acredite nessas promessas. Nada vai mudar. Nada, absolutamente nada. Temos que mudar a nós próprios primeiro. Seja exemplo para seu filho. Ore, busque, engaje-se, faça acontecer, testemunhe, faça você a diferença. Precisamos de líderes. Mas o líder não é forjado no banco de um MBA qualquer. A liderança nasce no fogo. O deserto de ontem será a tua lavoura amanhã. Precisamos de pessoas que tenham conhecido o sofrimento de perto, pois só estes são capazes de saber o que de fato o povo precisa.

Há muitos que ao pegarem um jornal só lêem três coisas: horóscopo, resumo das novelas e colunas sociais. Onde está o pensamento crítico? Onde está o cidadão? Sinceramente, para muitos a vida é uma balada de um tom só: EU, EU, EU. Me desculpem mais este desabafo, mas o pulso ainda pulsa.

 

Abraço da semana:




comentrios

Sem comentrios, adicione o seu!

Deixe seu comentrio sobre esta coluna:
De:
Comentrio:
   
 
colunas relacionadas

Publicidade


© 2011 JORNAL O MUNICIPIO - Todos os direitos reservados - Produzido por