27 de junho de 2019

   
 O Jornal   |   Contato
 
Cultura
12/09/2014
Município de Sangão agora tem um hino

Iniciativa do Conselho de Cultura resgatou a letra de uma canção feita nos primórdios da emancipação

Sangão tem uma bandeira e um brasão desde sua emancipação, em 1992. Porém, até  algum tempo atrás, o município não tinha um hino. No começo do mandato do Prefeito Castilho Silvano Vieira, no entanto, os esforços para a criação do Conselho de Cultura deram resultado, pois foi possível voltar ao passado e recuperar a letra do hino há muito tempo esquecido.

A autora do hino do município chama-se Rosa Elias Nazário. Dona Rosinha, como é conhecida, é uma mulher de 82 anos e reside há mais de 60 anos em Sangão. Ela conta que fora feito um concurso no município nos primórdios da emancipação, porém, sem sequência nos anos posteriores: “Eu fui a Tubarão várias vezes na UNISUL (onde era realizada a gravação do concurso). Eram 38 participantes quando me inscrevi. Chegando lá no local da gravação, só ficaram oito, já que trinta tinham desistido. Falaram-me que a letra estava boa, mas faltava o refrão. Quando cheguei em casa, procurei inspiração divina e coloquei o refrão. Voltando ao local da gravação, descobri que só eu tinha ficado na disputa”, conta.

Ainda, ela citou que a comissão à época aprovou o material: “Aí eles me falaram: Se a senhora pertencesse a Tubarão, por nós, já estaria aprovado. Só que a equipe organizadora da cultura de Sangão é que tem que vir aqui dar o aval. E aí o tempo passou e não vi mais nada”.

Sob os cuidados do Conselho de Cultura, foi possível recuperar a melodia com a ajuda da autora e ter os trâmites necessários para homologar o hino. Desta forma, no dia 07 de setembro, pela primeira vez, a canção foi executada para um grande público presente no desfile de independência. Sobre o momento, Dona Rosinha foi enfática: “Foi uma sensação tão boa. Amigas pensaram que eu ia chorar, mas eu fiquei firme. Eu estava muito feliz”, riu.

Segundo o Prefeito Castilho Silvano Vieira, a criação do Conselho de Cultura foi essencial para poder dar este presente ao município: “Criar o Conselho de Cultura foi importante para esta conquista. Assim, conseguimos dar andamento a esta iniciativa. Era o hino que Sangão merecia. E quanto a Dona Rosinha, a criadora, os nossos eternos agradecimentos. Ela deixou um legado para nossas futuras gerações”.



Fonte: Assessoria de comunicação - Sangão


comentrios

Sem comentrios, adicione o seu!

Deixe seu comentrio sobre esta notcia:
De:
Comentrio:
   
 
notcias relacionadas

Publicidade


© 2011 JORNAL O MUNICIPIO - Todos os direitos reservados - Produzido por